Portal Oficial - Instituto Nacional de Estatística
      
 

População desempregada aumentou 45,1% em relação ao trimestre anterior
Estatísticas do Emprego
População desempregada aumentou 45,1% em relação ao trimestre anterior - 3.º Trimestre de 2020
04 de novembro de 2020

Resumo

A taxa de desemprego foi estimada em 7,8%, valor superior em 2,2 pontos percentuais (p.p.) ao do trimestre anterior e em 1,7 p.p. ao do trimestre homólogo de 2019.
A população desempregada, estimada em 404,1 mil pessoas, aumentou 45,1% (125,7 mil) em relação ao trimestre anterior, o que corresponde à taxa de variação trimestral mais elevada da série iniciada em 2011, e 24,9% (80,7 mil) relativamente ao 3.º trimestre de 2019.
A população empregada, 4 799,9 mil pessoas, aumentou 1,5% (68,7 mil) por comparação com o trimestre anterior, mas diminuiu 3,0% (147,9 mil) em relação ao homólogo. Simultaneamente, a população empregada ausente do trabalho na semana de referência diminuiu 24,4% (263,3 mil) em relação ao trimestre anterior e aumentou 6,5% (49,4 mil) relativamente ao 3.º trimestre de 2019. De modo semelhante, observou-se um acréscimo trimestral de 17,4% e uma redução homóloga de 7,2% do volume de horas efetivamente trabalhadas.
A subutilização do trabalho abrangeu 813,7 mil pessoas, tendo aumentado 8,7% (65,0 mil) em relação ao trimestre anterior e 21,9% (146,0 mil) em relação ao homólogo. A taxa de subutilização do trabalho, estimada em 14,9%, aumentou 0,9 p.p. relativamente ao trimestre precedente e 2,7 p.p. por comparação com um ano antes. O aumento da subutilização do trabalho foi explicado maioritariamente pelo aumento do desemprego.
A população inativa com 15 e mais anos, estimada em 3 700,9 mil pessoas, diminuiu 4,8% (185,8 mil) relativamente ao trimestre anterior e aumentou 3,0% (108,5 mil) em relação ao trimestre homólogo. A redução trimestral da população inativa foi acompanhada pelo aumento da população desempregada e, em menor grau, da população empregada (como acima referido). A transição da inatividade para o desemprego refletiu o alívio das condicionantes à mobilidade e contacto social existentes no 2.º trimestre que decorreram da pandemia, permitindo uma maior facilidade na procura ativa de emprego e disponibilidade para começar a trabalhar, critérios cujo cumprimento é necessário para a classificação enquanto desempregado.

A informação deste Destaque é influenciada pela situação atual determinada pela pandemia COVID-19, seja pela natural perturbação associada ao impacto da pandemia na obtenção de informação primária, seja pelas alterações comportamentais decorrentes das medidas de salvaguarda da saúde pública adotadas (ver explicação na página 13).
Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.


Destaque
Download do documento PDF (376 Kb)
Quadros
Excel Excel (694 Kb)
ZIP CSV (63 Kb)